fevereiro 12, 2010

Leve 4 e pague 14

O esforçado Congresso Nacional conseguiu retardar a sua já retardada agenda de trabalhos para 2010. Não se deixem levar pela palavra em si; estamos falando das atividades parlamentares e não dos que as executam.
Mal voltaram às atividades, e os congressistas brasileiros empurraram para março e abril importantes votações em pauta desde o ano passado. Citando as mais importantes, aguardam pela boa vontade dos louváveis parlamentares o projeto de lei regulamentador para exploração do pré-sal, a “Lei Ficha Limpa” que proíbe a candidatura de cidadãos em dívida com a Justiça e diversos outros projetos de lei de caráter social. O país que só começa a funcionar após o carnaval possui o congresso que só o faz após a Páscoa.
E lembremos que estamos em ano eleitoral. Isso implica que a partir de 1º de julho as atividades parlamentares estarão encerradas para que aqueles que pretendam lutar com suor e sangue pela pátria, possam iniciar suas campanhas eleitorais. Significa dizer que nossos políticos de Brasília trabalharão longos quatro meses dos doze possíveis em um ano. E receberão por isso catorze salários, a considerar os benefícios que o honroso cargo lhes garante.
E não para por aí. Em um mês de trabalho, nossos parlamentares batem ponto efetivamente em apenas doze dias. Se a matemática não me faltar nesse momento, os quatro meses citados acima acumularão quarenta e oito dias de produção legislativa, o que nos leva a concluir que nossos representantes trabalharão efetivamente em 2010 por exato um mês e meio.
Ou se esta causar espanto, podemos formular outra conclusão: receberão um salário a cada oitenta e duas horas de trabalho comprovadas no cartão de ponto do Congresso.

Um comentário:

thebruna disse...

não é a toa que em eleições, chovem candidatos ao cargo!
se fosse por concurso, eu prestaria fácil ;]

:**

Postar um comentário